Marcar Consulta
Doenças Oncológicas
A estratégica terapêutica convencional do doente oncológico tem como objectivo atacar e eliminar as células malignas.

Para isso utiliza a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia.

O enorme esforço feito, durante os últimos 30 anos, em investigação científica, permitiu aumentar muito a eficácia do tratamento oncológico. Mas há ainda um grande caminho a percorrer...

Torna-se necessário alargarmos os nossos horizontes, integrarmos todos os conhecimento com mais-valia demonstrada, para sermos capazes de ver optimizada a eficácia do tratamento contra o cancro.

Em Medicina Integrada e Funcional temos como objectivos recuperar, suportar e estimular as capacidades de defesa inatas do organismo contra a génese e desenvolvimento das células malignas.

Para isso utilizamos a alimentação, a suplementação nutricional, a psicoterapia, o exercício físico e a estimulação do sistema imunitário.


As técnicas médicas habitualmente usadas – Cirurgia, Quimioterapia, Radioterapia – assentam na concepção corrente de que o objectivo terapêutico se alcança com a eliminação das células malignas.

As abordagens denominadas complementares fundamentam-se no conceito de que estará mais na recuperação optimizada do todo orgânico-psíquico, ou do meio envolvente da célula, (vejam-se os trabalhos da investigadora americana Mina J. Bissell) a chave para o sucesso definitivo da terapêutica oncológica.

O recurso complementar e sinérgico a ambas as estratégias permite optimizar os resultados clínicos e terapêuticos do doente oncológico.

Para a prevenção e tratamento da doença oncológica, a investigação científica tem revelado cada vez maior quantidade de provas científicas dos benefícios da nutrição, do exercício físico e da psicoterapia.

Para apoiar o doente oncológico oferecemos a sinergia da Terapêutica Complementar Oncológica com a contribuição de terapeuticas complementares, nutrição e execício físico.
 
Trata-se de uma equipa multidisciplinar, que actua de uma forma sinérgica e integrada.

A avaliação clínica do doente é feita de uma forma global por toda a equipa e o plano terapêutico é estruturado com o objectivo de optimizar e mobilizar as capacidades física e psíquica do doente para o maior sucesso da terapêutica oncológica, em complementaridade com os tratamentos convencionais eventualmente em curso.

Bibliografia.

1. Josef Beuth MD, Moss W. Ralph Ph. D.
Complementary Oncology
Adjunctive Methods in the Treatment of Cancer. 2005

2. David Sevan-Schreiber MD
AntiCancer- Prévenir et lutter grace à nos défenses naturelles.2007

3. Bernie S. Siegel MD
Amor Medicina e Milagres. 1998

4. Christine Horner MD. 
Waiking the warrior goddess. 2005

5. F. Chacon Mejias
Protobios o enzimas vivientes. 1974

6. Mina J. Bissell

7. David S. Jones MD
Text Book of Functional Medicine
Institute for Functional medicine. 2005

8. A. Pischinger MD
Matrix and Matrix Regulation. 1975

9. Joseph Lévi MD
La révolution silencieuse de la médecine. 1988

12. David Heber MD, George L. Blackburn, Vay Liang W, Go MD
Nutritional Oncology. 1999

11. Joseph E. Pizzorno ND, Michael T. Murray ND
Textbook of Natural Medicine. 2000

12. Hans Nieper MD
Revelation en medicine et santé. 1993

« voltar