Marcar Consulta
Nutrição Funcional

Blog Nutrição Funcional

Gisela Carrilho
Consumo excessivo de sal aumenta risco de doenças auto-imunes
15 Março 2013

De acordo com os estudos da edição desta semana da revista Nature, o elevado consumo de sal pode induzir e agravar as respostas do sistema imunitário, e consequentemente as doenças auto-imunes.
 
Os fatores genéticos, só por si, não conseguem explicar o aumento das doenças autoimunes, e por isso os autores procuraram outros possíveis fatores, acabando por encontrar esta  relação entre sal e doenças auto-imunes (esclerose múltipla, a diabetes tipo 1 e a artrite reumatóide).
 
Numa das investigações os animais geneticamente modificados para desenvolverem esclerose múltipla pioraram quando ingeriram uma maior quantidade de sal, em comparação com os que tinham uma ingestão mais moderada. Observou-se que o sal potenciou a produção de um tipo de células imunitárias, os linfócitos T, importantes no combate a agentes infeciosos; porém, quando ingerido em quantidades superiores às recomendadas podem entrar em conflito com o organismo e desencadear doenças autoimunes, já que as defesas do organismo deixam de reconhecer os próprios tecidos e atacam-nos. Outro dos estudos referiu que as dietas ocidentais actuais têm altos níveis de sal e isso levou ao aumento da hipertensão e, possivelmente, das doenças auto-imunes.
 
Comentários:
- É conhecido que o elevado consumo de sal já é um factor de risco para problemas cardíacos e de hipertensão. Com este estudo, verifica-se também que o consumo excessivo de sal  pode representar um factor de risco ambiental para o desenvolvimento de doenças auto-imunes. Deste modo, a alteração dos hábitos alimentares como prevenção e durante o tratamento é, por isso, sempre necessária!
- Reeduque o paladar a descubra o sal escondido nas prateleiras do seu supermercado. Abdicar do sal é inicialmente muito difícil. Mas bastam 1-2 meses para notar o paladar mais apurado e a sensação de que os alimentos ficam mais saborosos com pouco sal. Comece por…
   - Habituar-se a ler os rótulos e a ver os níveis de sal ou cloreto de sódio.
   - Dar preferência aos alimentos frescos em detrimento dos industriais.
   - Pôr menos sal ao cozinhar e deixar de o adicionar à mesa. Substitua-o pelos temperos como as ervas aromáticas e especiarias.


Nutrição na doença
Nutrição para a saúde
Publicado por:
Gisela Carrilho
Partilhe

0 Comentários

Inserir Comentário

Entrar




Novo Utilizador?
Recuperar Password