Marcar Consulta
Nutrição Funcional

Blog Nutrição Funcional

Gisela Carrilho
Comer muito rápido aumenta risco de diabetes tipo 2 até 2,5 vezes
18 Maio 2012

De acordo com um estudo apresentado este mês no European Congress of Endocrinology, os indivíduos que comem muito rápido têm um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2. Esta é a primeira vez  que este factor aparece directamente relacionado ao desenvolvimento de uma doença.
 
Os investigadores compararam 234 pessoas diagnosticadas recentemente com diabetes tipo 2 com outros 468 indivíduos que não tinham a doença. Todos os participantes responderam a um questionário sobre factores de risco para diabetes, hábitos alimentares e medidas antropométricas (peso, altura, perímetro da cintura). A velocidade com que eles comiam foi avaliada, e classificada em lenta, normal ou rápida.

Após ajustarem os resultados para outros factores relacionados à diabetes (história familiar, actividade física e tabagismo), os autores concluíram que aqueles que comiam mais rapidamente apresentavam 2,5 vezes mais probabilidade de terem diabetes tipo 2. Outro dos resultados indicou que o hábito de comer mais rápido está associado a um maior índice de massa corporal (IMC) e a um menor nível de escolaridade.

Comentários:
- A prevalência de diabetes tipo 2 está aumentar  e resulta de uma interacção entre factores genéticos e ambientais. É, por isso, importante identificar quais são os factores de risco modificáveis, sendo um deles - a duração da refeição - um dos pontos abordados nas nossas consultas de nutrição funcional.

- Comer mais devagar não quer dizer que se deva mastigar os alimentos eternamente mas sim que se aprenda a fazer as refeições com calma, lentamente e saboreando os alimentos. Sabe-se que para que o cérebro identifique que está a ingerir alimento e proporcione a sensação de saciedade demora cerca de 30 minutos. Assim, se esse tempo não for respeitado o cérebro continuará a enviar mensagem de fome, contribuindo para o excesso de peso e desenvolvimento da diabetes. Deste modo, a reeducação alimentar não é apenas a mudança na quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos, mas também na duração adequada para cada refeição.

Nota: Imagem retirada daqui.


Nutrição para a saúde
Obesidade
Publicado por:
Gisela Carrilho
Partilhe

0 Comentários

Inserir Comentário

Entrar




Novo Utilizador?
Recuperar Password